I Seminário Nacional de Educação em Agroecologia

 

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE AGROECOLOGIA
 
GT Educação em Agroecologia
 

 

 
I Seminário Nacional de Educação em Agroecologia
Construindo os Princípios e Diretrizes
 
1ª CONVOCATÓRIA
Recife, janeiro de 2013.
 
 
A Associação Brasileira de Agroecologia – ABA-Agroecologia e o Núcleo de Agroecologia em Campesinato – NAC da Universidade Federal Rural de Pernambuco – UFRPE convidam para o I Seminário Nacional de Educação em Agroecologia – Construindo Princípios e Diretrizes a ser realizado nos dias 3 a 5 de julho de 2013, em Recife/PE. Este seminário terá o objetivo de aprofundar a reflexão sobre o tema e construir um posicionamento coletivo sobre os princípios e diretrizes para uma Educação em Agroecologia no Brasil.
A idéia é promover o aprendizado mútuo e a identificação e ressignificação dos referenciais que orientam experiências concretas de Educação em Agroecologia. Ao mesmo tempo, espera-se dar visibilidade as diversas iniciativas de formação com enfoque agroecológico, assim como propiciar a aproximação e troca entre as experiências existentes.
Para enfrentar este desafio, estamos convidando educadores, educadoras, estudantes e representantes de instituições envolvidos em experiências concretas de Educação em Agroecologia, no ensino, na pesquisa e na extensão, com diferentes inserções, áreas do conhecimento e propostas político-pedagógicas, espalhadas pelos vários rincões do país.
Pedimos que todos divulguem esta atividade o mais amplamente possível entre pessoas e instituições dedicadas ao tema. Nos próximos dias estaremos divulgando maiores informações sobre a programação, inscrições etc.
Contatos e sugestões podem ser enviados para o email snea@aba-agroecologia.org.br e pelo blog http://snea.aba-agroecologia.org.br.
 
 
Comissão Organizadora
ABA Agroecologia- GT Educação em Agroecologia
NAC/UFRPE
Anúncios

Capes aprova Mestrado em Ciências Agrárias – Agroecologia

O PPGCAG vai funcionar no Centro de Ciências Humanas Sociais e Agrárias, Campus III de Bananeiras e o processo seletivo será em janeiro de 2012
Após 09 meses foi aprovado o Programa de Pós-Graduação em Ciências Agrárias (Agroecologia) (PPGCAG). A decisão se deu por ocasião da 132ª Reunião do Conselho Técnico Científico de Educação Superior da CAPES/MEC. A reunião foi realizada entre 12 e 16 de dezembro em Brasília e a notícia foi divulgada nesta terça-feira dia 20/12/2011 no portal da CAPES/MEC. O Programa já havia sido aprovado no Conselho Superior da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) segundo a resolução n° 18/2011 do CONSEPE” informou o professor Marcos Barros de Medeiros, membro da comissão elaboradora do Programa.
O Mestrado em Ciências Agrárias (Agroecologia) partiu de uma iniciativa originada no âmbito do Departamento de Agropecuária do Centro de Ciências Humanas Sociais e Agrárias (CCHSA) da UFPB – Campus de Bananeiras. Este Programa de Pós-Graduação “Estricto Sensu” terá inicio em março de 2012 e contará com uma área de concentração: Ciências Agrárias (Agroecologia) com duas densas linhas de pesquisa: 1) Ciências Agrárias, Indicadores e Sistemas de Produção Sustentáveis; e 2) Desenvolvimento rural, processos sociais e produtos agroecológicos.
O corpo de docentes permanentes com dedicação exclusiva será composto pelos seguintes professores doutores: Ademar Pereira de Oliveira (CCA/UFPB – Areia) Antônio Alberto Pereira (CECAN/UFPB – Mamanguape); Daniel Duarte Pereira (CCA/UFPB – Areia); Fillipe Silveira Marini (Coordenador da Comissão – DAP/CCHSA – Bananeiras); George Rodrigo Beltrão da Cruz (DAP/CCHSA – – Bananeiras); Ítalo de Souza Aquino (DAP/CCHSA – – Bananeiras); Leonardo Augusto Fonseca Pascoal (DAP/CCHSA – – Bananeiras); Marcos Barros de Medeiros (DAP/CCHSA – – Bananeiras); Marcos Paulo Carreira de Meneses (DAP/CCHSA — Bananeiras), Maria José Araújo Wanderley (DAP/CCHSA – Bananeiras); Melchior Naelson Batista da Silva (Pesquisador da Embrapa-Algodão – Campina Grande); Nair Helena Arriel (Pesquisador da Embrapa-Algodão – Campina Grande); Nivânia Pereira da Costa (DAP/CCHSA – Bananeiras); e Raunira da Costa Araújo (DAP/CCHSA – Bananeiras).  Outros cinco professores serão colaboradores: Alexandre Eduardo de Araújo (DAP/CCHSA – Bananeiras), Severino Bezerra Silva (CE/UFPB – – Bananeiras), Silvestre Fernandez Vasquez (DAP/CCHSA – – Bananeiras), e a Professora Geralda Macedo (DE/CCHSA – – Bananeiras) e Fábio Aquino (Pesquisador da Embrapa Algodão – Campina Grande).
O PPGCAG permitirá a introdução de outra perspectiva em relação à produção de alimentos baseados nos conceitos e ferramentas utilizadas pelas Ciências Agrárias e pela Agroecologia, a qual incorpora as áreas de conhecimento da Agronomia, Biologia, Ecologia, Economia e Administração, Educação, Engenharia Florestal, Sociologia, Veterinária e Zootecnia passando pelas questões relacionadas às estratégias alternativas de desenvolvimento rural e suas perspectivas políticas. O Programa proporcionará, à sociedade, profissionais com formação metodológica com a capacidade de trabalhar em interface de conhecimento, equipes e projetos de pesquisa multiprofissionais.
A proposta ainda tem como objetivo a formação, qualificação e o aprofundamento do conhecimento de docentes, pesquisadores e de profissionais especializados nas áreas afins acima citadas.
O processo seletivo para 2012 começará em Janeiro, sendo o período de inscrição a ser divulgado até o final de dezembro de 2011. Para esse primeiro processo seletivo serão ofertadas 12 vagas para candidatos formados nas áreas supracitadas e áreas afins.

Curso: Meio Ambiente

Programa: Escola do Pensamento Agropecuário

  • Para quem é este curso:Pessoas do meio rural, dirigentes, sindicatos rurais e estudantes de Direito, Serviço Social, Sociologia, Agronomia, Engenharia Agrária, Veterinária, Zootecnia e outras áreas afins.
  • O que você vai aprender:Neste curso que trata sobre meio ambiente você terá a oportunidade de entender o que o Sistema CNA/SENAR entende por meio ambiente e quais ações ele está propondo para que o Brasil realmente coloque em prática as ações para a busca da qualidade do meio ambiente. Ou, seja: quais as ações que tanto o produtor como o empregado rural podem realizar para preservar o meio ambiente, para que esta prática se dissemine em todo o território nacional. E uma das ações que o Sistema CNA/SENAR está colocando em prática é este curso, visto que não há ações de preservação ambiental sem cidadãos qualificados com formação profissional e conscientes de suas ações com o meio ambiente. Esse curso, em especial, traz informações importantes sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, sobre o Projeto Biomas, a importância da legalidade das ações em benefício ao meio ambiente, apresentação das boas práticas agrícolas e sobre os Crimes Ambientais, sanções administrativas e auto de infração no Brasil.
  • Onde você vai estudar:O acesso ao curso será pela Internet em um Ambiente de Aprendizagem de fácil navegação, comunicação e interação entre todos os participantes do curso.

Saiba mais: http://eadsenar.canaldoprodutor.com.br/cursos/meio-ambiente

Ministra do meio ambiente anuncia que irá lançar Programa Nacional de Agroecologia

Em audiência com o MPA nesta quarta-feira, 19, a ministra do meio ambiente Izabella Teixeira anunciou que irá propor à Presidente Dilma Rousseff um Programa Nacional de Agroecologia. Segunda a ministra, esse será um projeto estruturante, que servirá como alternativa para a transição agroecológica.

“Esse ministério tem que dialogar com quem faz uso do meio ambiente, não só com quem defende o meio ambiente. Por isso, a agricultura familiar é central para pensar um novo projeto de meio ambiente para o Brasil”, afirmou Teixeira.

Antes de anunciar o lançamento do programa, a ministra ouviu o MPA e acolheu as propostas de debate.

O movimento apresentou as experiências que vem desenvolvendo na área de agroecologia, como sistemas agroflorestais, recuperação de sementes crioulas, reflorestamentos de espécies nativas, recuperação de nascentes e bioenergia.  O MPA defendeu um programa avançado de agroecologia, com resgate das práticas de cultivo camponesas e com investimentos em pesquisa e tecnologias alternativas.

Sérgio Conti, dirigente do MPA, falou sobre a Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e destacou a necessidade do ministério assumir a luta contra a aplicação de venenos na agricultura. “A Via Campesina em conjunto com outras organizações lançou esse ano a Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e está debatendo incisivamente o tema com a sociedade. Mas entendemos que essa pauta deve ser reconhecida e assumida pelo ministério, buscando ações efetivas de combate ao uso de venenos”, disse Conti.

Na audiência, o MPA reiterou a posição contrária às mudanças no Código Florestal apresentadas pelo Deputado Aldo Rebelo, e defendeu a manutenção do Código. A ministra Izabella Teixeira deixou claro que sua posição vai ao encontro da proposta dos movimentos sociais, e que tem feito todo esforço para que o relatório do governo preserve a legislação atual.

Jornada Agroecológica no Paraná

Estamos a pouco mais de um mês da 10ª Jornada de Agroecologia, que vai acontecer entre os dias 22 e 25 de junho, em Londrina, no campus da UEL, e o coletivo coordenador deste grande evento está muito empenhado para que se tenha uma bela atividade, com muita formação, articulação e divulgação da Agroecologia no Paraná, no Brasil, na América Latina e no Mundo.

As Jornadas de Agroecologia são articulações de vários movimentos sociais e organizações da agricultura familiar camponesa, organizações da sociedade civil do campo popular, estudantes, técnicos e acadêmicos e se insere no grande movimento de lutas dos povos contra a mercantilização da vida comprometendo- se a construir uma nova sociedade sustentável capaz de satisfazer suas necessidades fundamentais e garantir os direitos das gerações futuras. Ao longo de um árduo processo de trabalho e luta contra o agronegócio, se fortalece a unidade política e de ação como um Movimento Agroecológico e de transformação da sociedade protagonizado pela agricultura familiar camponesa e povos tradicionais, em cooperação com todos os que lutam por um mundo digno e sustentável, no campo e na cidade.

A Jornada de Agroecologia se configura como um espaço de estudo, mobilização e troca de experiências, de caráter massivo, reúne cerca de 3000 participantes a cada ano. Já existe uma Programação quase fechada e muitas participações confirmadas. Todas as informacões estão disponíveis no blog http://jornadaagroecologia.blogspot.com/ e no perfil do Facebook: Jornada de Agroecologia, saem as informacões mais quentes!

Com relacão a Alimentacão e Alojamento as comitivas/brigadas devem entrar em contato diretamente com a secretaria operativa do evento pelo email jornadaagroecologia.pr@gmail. com

Globalizemos a luta! Globalizemos a esperança!

IV Fórum Regional de Agroecologia “Semeando oportunidades, colhendo um futuro”

Justificativa:

Assim como é registrado em várias partes do planeta, a difusão das ideias e práticas que visam ao desenvolvimento equilibrado depende da conscientização quanto à preservação dos recursos naturais, valorização do conhecimento dos povos tradicionais e respeito à vida.

O processo de ocupação das regiões anteriormente habitadas por povos desconhecidos mudou drasticamente a sua cultura e trouxe consequências desastrosas.

Diante da insustentabilidade dos processos produtivos das atividades agropecuárias em nossa região, este fórum destaca-se como importante instrumento de debate na busca por alternativas. É grande o desafio de combater o crescente avanço da perda dos valores sociais, ambientais e econômicos no meio rural.

A Agroecologia, porém, apresenta um espaço aberto para a troca de experiências entre estudantes, agricultores, pesquisadores e extensionistas na busca pela sustentabilidade da agropecuária.

Objetivos:

Geral

Buscar alternativas sustentáveis e viáveis junto à comunidade acadêmica, pesquisadores e agricultores da região da Zona da Mata mineira.

Específicos

– Contribuir através da análise crítica das práticas agrícolas atualmente adotadas na região e seu redirecionamento à Agroecologia;

– Propor a intensificação de intercâmbios entre agricultores da região e a instituição à medida que as práticas agroecológicas sejam adotadas através das unidades demonstrativas;

– Colaborar como um agente de mudança que repense a agricultura com base na ciência agroecológica.

Público-alvo:

Estudantes, agricultores familiares, pesquisadores e profissionais ligados às diversas áreas do conhecimento.

Organização:

Professores e acadêmicos do curso de Bacharelado em Agroecologia do Campus Rio Pomba do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais.

Promoção:

Campus Rio Pomba – IF Sudeste MG

 

Mais informações? CLIQUE AQUI

Nesta terça, dia 17: 2ª noite do Ciclo de Palestras com discussões sobre Territorialidade e Mulheres na Agricultura

Na terça-feira, dia 10 de maio, o Movimento Agroecológico abriu o 4º Ciclo de Palestras em Agroecolgia, evento este que contemplará todas as terças do mês de maio até o dia 31.

Na ocasião estavam presentes os professores Djail Santos, Diretor do CCA/UFPB, e Manoel Bandeira, futuro coordenador do curso de Agronomia de Areia; que enriqueceram as discussões das duas palestras. Este ainda falou um pouco sobre a mulher na Agricultura Familiar, já fazendo um gancho com a palestra do 2º dia do Ciclo de Palestras, que será nesta terça, dia 17. Sem contar, com a presença da companheira Ana Cristina, que trabalha na COONAP, uma cooperativa que trabalha com Assistência Técnica, Social e Ambiental, em 30 assentamentos localizados na região do curimataú, brejo, cariri e agreste paraibanos.

De começo, houve uma inversão na ordem das palestras, e assim o professor do campus III da UFPB, Alexandre Eduardo iniciou falando sobre as “Perspectivas da Agroecologia na Paraíba”, seguindo com Lucas Hipolito Xavier, do MDA-PB, que falou sobre “A nova politica de ATER e o perfil do profissional de Extensão Rural”.

Amanhã, teremos a 2ª noite do Ciclo de Palestras em Agroecologia, com as seguintes temas de palestras e palestrantes:

  • “ Importância dos Território da Cidadania“ – Palestrante: José Washington Machado (Polo da Borborema)
  • “A mulher na Agricultura Familiar” – Palestrante: Mirian Farias da Silva (Centro da Mulher 8 de Março)

Abaixo seguem as fotos tiradas na primeira noite do Ciclo por nosso amigo Adelmo de Medeiros, aluno de Agronomia.

Entradas Mais Antigas Anteriores

Olha nós no…

e no…

Paraibanês

Paraibano não fica solteiro... ele fica solto na bagaceira!
Paraibano não vai com sede ao pote... ele vai com a bixiga taboca!
Paraibano não vai embora... ele vai pegá o beco!
Paraibano não diz 'concordo com vc' ... ele diz 'Né isso, homi!!!!'
Paraibano não conserta... ele Imenda!
Paraibano não bate... ele 'senta-le'a mãozada!
Paraibano não sai pra confusão... ele sai pro 'muído'!
Paraibano não bebe um drink... ele toma uma!
Paraibano não é sortudo... ele é cagado!
Paraibano não corre... ele dá uma carrera!
Paraibano não brinca... ele manga!
não toma água com açúcar... ele toma garapa!
não engana... ele dá um migué!
não percebe... ele dá fé
não vigia as coisas... ele pastora!
não sai apressado... ele sai desembestado!
não aperta... ele arroxa!
não usa zíper... usa 'riri'!
não dá volta... ele arrudêia!
não espera um minuto... ele espera um pedaço!
não é distraído... ele é avoado!
não fica encabulado... ele fica todo errado!
não passa a roupa... ele engoma a roupa!
não ouve barulho... ele ouve zuada!
não rega as plantas... ele 'agoa' as plantas
não é esperto... ele é desenrolado!
não é rico... ele é estribado!
não é homem... ele é macho !
não diz tu ouviste? , ele diz vice?
não diz vamos embora ele diz bora!
não grita de espanto ele diz oxe!
não se impressiona, só diz vôte!
não diz não, diz nã!

Ô orgulho réi besta!!!

Clique no símbolo e veja mais fotos do Movimento