Criações Sustentáveis

Altas Idéias, e que são otimas opções de negócios

.

HOTEL OFERECE REFEIÇÕES DE GRAÇA PARA QUEM ESTIVER DISPOSTO A GERAR ELETRICIDADE

O Crown Plaza Hotel, em Copenhague, Dinamarca , oferece uma chance para quem quer fazer uma boa refeição sem deixar de cuidar do planeta. O hotel disponibiliza bicicletas ligadas a um gerador de eletricidade para os hóspedes voluntários. Cada um deles deve produzir pelo menos 10 Watts/hora de eletricidade aproximadamente 15 minutos de pedalada para um adulto saudável. Após o exercício, o hóspede recebe um generoso vale-refeição: 26 euros, aproximadamente 60 reais.

.

BAR CAPTA ENERGIA PRODUZIDA PELA DANÇA DE SEUS FREQUENTADORES

Todas as luzes e os sons de uma balada gastam uma quantia considerável de eletricidade. Pensando nisso, o dono do Bar Surya, em Londres, refez o chão da pista de dança de seu estabelecimento e o revestiu com placas que, ao serem pressionadas pelos frequentadores do lugar, produzem corrente elétrica. Essa energia é então usada para ajudar na carga elétrica necessária à casa. Andrew Charalambous, o visionário dono do bar, diz que a eletricidade produzida pela pista modificada representa 60% da necessidade energética do lugar.

.

BORDEL OFERECE DESCONTO AOS CLIENTES QUE FOREM DE BICICLETA

Um bordel de Berlim, na Alemanha, encontrou um modo criativo de atrair clientes preocupados com o aquecimento global e com a crise econômica: o estabelecimento oferece desconto para clientes que usarem bicicletas para chegar ao local, espantando a crise econômica, e ainda ajudar a frear as mudanças climáticas globais. Quem chega de bicicleta, ganha desconto. Segundo Thomas Goetz, dono do bordel Maison Denvie, a recessão atingiu em cheio os negócios. Consumidores que foram ao bordel pedalando, ou que provarem ter utilizado um meio de transporte público, recebem 5 euros de desconto sobre os tabelados 70 euros (mais de 150 reais) para 45 minutos.

.

EMPRESA CRIA IMPRESSORA QUE NÃO USA TINTA NEM PAPEL

Quem disse que uma impressora precisa de tinta ou papel para existir? Conheça a Impressora PrePean. Diferente das convencionais, ela utiliza uma peça térmica para fazer as impressões em folhas plásticas feitas especialmente para isso. Além de serem à prova dágua, elas podem ser facilmente apagadas. É só colocá-las novamente na impressora que, através de outra temperatura, a próxima impressão ficará no lugar da anterior. A mágica faz com que apenas uma dessas folhas possa ser utilizada mil vezes.

.

UNIVERSIDADE CONSTROI TELHADO VERDE

O Design Verde é uma tendência da arquitetura moderna, e não estamos falando apenas da cor, mas sim de locais como o prédio de cinco andares da Escola de Arte, Design e Comunicação da Universidade Tecnológica de Nanyang, em Cingapura. A construção conta com uma cobertura vegetal e sua forma orgânica se mistura com a natureza onde está inserida. Os telhados revestidos de grama servem como ponto de encontro informal, além de ajudar no equilíbrio térmico do edifício e na absorção da água da chuva.

.

DESIGNER CRIA PIA QUE UTILIZA ÁGUA DESPERDIÇADA PARA REGAR PLANTA

Feita de concreto polido, a Pia batizada de Jardim Zen possui um canal que aproveita a água utilizada na lavagem das mãos para molhar uma planta. Criado pelo jovem designer Jean-Michel Montreal Gauvreau, a pia vem em bacia dupla ou modelo simples. Se você está preocupado eu ensaboar toda a sua plantinha, relaxe. Uma peça no início do canal drena o liquido e só deixa água sem sabão escorrer até a planta.

.

DESIGNER CRIA CHUVEIRO QUE O OBRIGA A SAIR QUANDO JÁ DESPERDIÇOU MUITA ÁGUA

O designer Tommaso Colia criou uma solução para aqueles que adoram passar um tempão tomando uma ducha relaxante (é, você mesmo!). O chuveiro Eco Drop possui círculos concêntricos como tapetes no chão, que vão crescendo enquanto o chuveiro está ligado. Após um tempo, a sensação fica tão incômoda que te força a sair do banho e, consequentemente, economizar água. Cerca de 20% de toda energia gasta no lar vem da água quente utilizada no banho seis vezes mais do que a iluminação doméstica, por exemplo.

.

DESIGNER CRIA INTERRUPTOR QUE MUDA DE COR PARA ENSINAR CRIANÇAS A ECONOMIZAR ENERGIA

Tio é o nome do interruptor em forma de fantasma que avisa, através de sutis luzes, há quanto tempo a lâmpada está acesa. Até uma hora, a expressão do fantasminha é feliz e a luz do interruptor permanece verde. Se a luz é deixada ligada por mais de quatro horas, ele se assusta e fica amarelo. Já se o morador da casa se atreve a deixar a luz acesa por mais de oito horas, o até então amigável fantasma se zanga e fica vermelho. Com o auxílio visual e tátil, espera-se que as crianças comecem a tomar consciência do desperdício de energia logo cedo, e de uma maneira divertida.

.

EMPRESA CRIA GRAMPEADOR SEM GRAMPOS PARA EVITAR POLUIÇÃO

Grampos de grampeador são tão poluentes que uma empresa decidiu criar um novo modelo do produto, sem grampos! Em vez dos grampos a que todos estamos acostumados, ele recorta pequenas tiras de papel e as usa para costurar até cinco folhas de papel juntas. Se você se empolgou com a ideia, pode encomendar esses grampeadores personalizados para que sua empresa se vanglorie de contribuir para um mundo livre grampeadores com grampos.

.

DESIGNER CRIA CARREGADOR DE IPHONE ALIMENTADO POR APERTO DE MÃO

Eis uma invenção que dará uma mão na economia de energia. Carregue seu iPhone com um aperto de mão! O conceito foi chamado de You can work.

Energia Solar com Esmalte e Acetona

Uma jovem cientista australiana criou células fotovoltáicas – usadas para transformar energia solar em energia elétrica – a partir de produtos parecidos com esmalte e acetona, uma impressora e um forno de pizza, baixando o preço da tecnologia.
Os painéis solares criados por Nicole Kuepper, de 23 anos, são bem mais simples e mais baratos dos que os tradicionais por não usar tecnologia de ponta, mas mantêm a mesma qualidade.
Kuepper, que é estudante da Universidade de Nova Gales do Sul e já patenteou o processo, conta que descobriu a fórmula “quase sem querer”. “Eu estava fazendo os testes e esqueci de usar um produto. No final deu certo sem ele”, disse ela.
A jovem cientista criou células fotovoltáicas a partir de produtos parecidos com esmalte e acetona, uma impressora e um forno de pizza.
No processo, Kuepper pulveriza químicos parecidos com esmalte em células de silício e depois passa essas células finas por uma impressora comum que, em vez de tinta, usa acetona para moldá-las no formato no formato certo.
Depois, o material é “assado” em um forno similar ao de pizza, numa temperatura mais baixa do que a do processo normal.
Segundo a estudante, o método cria painéis solares mais baratos e tão eficientes quanto os tradicionais.
Os gastos com o processo são reduzidos por causa da simplicidade dos materiais usados e da tecnologia, além da temperatura mais baixa. No método convencional, a temperatura utilizada na criação de painéis solares chega a até 800 graus Celsius. Com a nova técnica, a temperatura cai para 300 graus Celsius.
Além disso, o wafer de silício usado para fazer o painel solar tem a espessura de 50 micrômetros, bem mais fino se comparado com o padrão de 250 micrômetros.
Com a invenção, batizada de iJET, a australiana pretende levar energia barata e limpa para regiões sem acesso à eletricidade, inclusive em países em desenvolvimento, como o Brasil.
“Quero oferecer aos dois bilhões de habitantes menos favorecidos que não possuem facilidades elétricas, condições de ler à noite ou de se manterem informados sobre o mundo através do rádio usando energia do sol”.
Colecionadora de títulos científicos de prestígio na Austrália, a jovem ressalta que, quando o método começar a ser comercializado, daqui a três anos, ele vai reduzir a emissão de gases poluentes causadores do efeito estufa e das mudanças climáticas.
A demanda por painéis solares está crescendo em todo o mundo, mas o material ainda custa caro. Para tornar sua casa auto-suficiente em energia, por exemplo, o australiano Michael Mobbs gastou cerca de R$ 70 mil, mas a longo prazo, a relação de custo-benefício compensa. Mobbs não paga mais conta de luz, além de já ter economizado tudo o que gastou em 12 anos. “Todo ano evito que cerca de quatro toneladas de carvão sejam queimadas e que oito toneladas de gases estufa sejam emitidos na atmosfera”, disse ele.

PALESTRA: Introdução à Permacultura em Areia.

É com muito entusiasmo e alegria que os estudantes e integrantes do Movimento Agroecológico de Areia convidam todos a comparecerem na palestra sobre Introdução à Permacultura. O palestrante é Neimar Marcos* (mais conhecido como Ninguém), permacultor e diretor do Centro de Educação Ambiental da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SEMAM). O evento ocorrerá nesta quarta-feira, dia 16 de junho, às 19h30 no prédio central (salão nobre) do campus II da UFPB, em Areia. TOD@S estão convidad@s a particiarem e contribuirem nos projetos que estão sendo desenvolvidos relacionados à Permacultura e Agroecologia em Areia.

.

E VOCÊ NÃO PAGA NADA, É UMA PALESTRA POPULAR!

VAMOS SORTEAR LIVROS TAMBÉM!

.

(Esses acima são os cartazes que o MAE confeccionou para a divulgação dentro do CCA)

.

HáBraços! da Equipe Per-MAE-cultura!

.

*Neimar Marcos é permacultor e possui graduação em Licenciatura Plena em Filosofia pela Universidade Federal de Pelotas (2006). Foi coordenador do Departamento de Permacultura e Design de Ecovilas na Eco-vila itinerante Caravana Internacional arco-íris por la Paz ( México), Educador Ambiental no Centro Ecopedagógico Bicho do Mato (Recife), e Coordenador Geral da Estação de Permacultura Aldeia 2012 (Goiás). Tem realizado pesquisas, proferido palestras e ministrado cursos de Permacultura, Design de Ecovilas e Sustentabilidade para ONG’s, Escolas , Insitutos e Universidades públicas e privadas em vários estados do Brasil. Atualmente é diretor do departamento de Educação Ambiental da Semam.

Um maeiro caatingueiro na Rede Globo

Neste sábado, dia 5 de junho, o ex-maeiro Giovane Xenofonte participou do programa Ação, da Rede Globo. Ele foi representando a ONG Caatinga, onde trabalha.
O Ação é um programa que mostra a iniciativa de pessoas, empresas e intituições que emprestam sua experiência profissional e doam seu tempo para ajudar na construção de um Brasil melhor.
A edição do programa abordou sobre as peculiaridades da caatinga, bioma único no mundo, que só existe no Brasil. A Caatinga corresponde a quase 10% do território nacional e é detentora de ecossistemas muito ricos e pouco conhecidos, além de ser um dos biomas menos conservados do Brasil, pois a ação do homem já transformou 80% da vegetação original.
Projetos implantados no semiárido mostram que é possível integrar o homem e a natureza. Um exemplo é a agrofloresta do seu Adão. A propriedade é uma das doze da região do Araripe que adotam as técnicas ensinadas pela ONG caatinga. E para resistir ao período seco, a lição número um é estocar.

É nessa caatinga, única e nossa, que muitos maeir@s já trabalharam e trabalham até hoje!

Assista aos vídeo (na sequência) e conheça mais da vida da Caatinga!

Visite: Programa Ação

Como seria seu mundo sustentável?

Reunião da Rede de Permacultura lá em Jampa

Neste, sábado, dia da Biodiversidade, quatro maeir@s estiveram representantdo o Movimento Agroecológico (MAE) na segunda reunião da Rede de Permacultura da Paraíba. Foi mais um sonho realizado… Todos eles (Jaci, Môi, Vitão e Paulista) estiveram no Parque Zoobotânico Arruda Câmara na cidade de João Pesssoa-PB representando o campus II-Areia da UFPB. O evento contou com a participação de cerca de 200 pessoas de diversas regiões da Paraíba inclusive a galera da Ecovila Bicho do Mato de Pernambuco.

A reunião ocorreu em paralelo com uma atividade com as crianças com máscaras de animais da fauna brasileira.

Da reunião surgiram duas vagas para o MAE, preenchidas por Môi e Paulista. Estes participarão do primeiro Curso de PDC (Permacultura Consultoria e Design) de 72 horas gratuito, ministrado por Neimar Marcos (mais conhecido como Ninguém). O curso vai ser todo com base no sistema Ecopedagógico do pernambucano Paulo Freire e com alimentação vegetariana gratuita.

Essa rede e o curso de PDC fará uma grande reforma paradigmatica em João Pessoa e que garantirá isto, que é a permacultura, que sempre esteve nas mãos dos ricos alternativos, é que agora fará parte da vida de estudantes, das donas de casa, dos desempregados, das pessoas humildades da periferia da capital paraibana.

Será a nossa participação e engajamento na formação dessa rede, no fortalecimento do coletivo, participando e mostrando a força da mobilização

E como disse Ninguém, ESTAMOS NO CAMINHO… AFINADOS COM UMA MUDANÇA QUE CHEGA NO VENTO… DE UMA NOVA CONSCIÊNCIA PARA HUMANIDADE… BASEADA NO AMOR, PAZ, RESPEITO ÀS DIFERENÇAS… E IGUALDADES SOCIAIS…

Entenda mais sobre a Permacultura vendo/lendo essa flor elaborada pelo permacultor Juliano Riciardi

AVATAR NO XINGU

UM CONFRONTO DESLEAL

Quem assistiu ao filme, não esquece os nativos de três metros de altura, utilizando apenas arco e flecha, lutando contra equipamentos de alta performance tecnológicas de uma mineradora, para defender seu paraíso territorial. A ficção vira realidade na cidade de Altamira, Município do Interior do Pará, estado que faz parte da Amazônia legal Brasileira. Vários grupos indígenas saíram de suas reservas para lutar em favor de seus direitos, desde quatro de fevereiro deste ano, há exatamente sete dias eles estão sediados no “extinto” escritório da FUNAI – Fundação Nacional do Índio, entidade criada para ”defender” os interesse  da classe indígenas. Cerca de 230 indígenas representando nove etnias e 18 aldeias, buscam entendimento com o governo, para saber o porquê da extinção da administração local da FUNAI, que pretende transferir a ADM para a cidade de Santarém. A área de abrangência da regional de Altamira é de aproximadamente seis milhões de hectares, onde vivem mais de quatro mil indígenas, existem comunidades que se leva cerca de cinco dias de viagem para se chegar até a aldeia; se com uma ADM Regional em Altamira é difícil manter o atendimento e controle da exploração de terras indígenas, imaginem esta extensão territorial deixada á própria sorte. O que está por traz desta manobra, é o enfraquecimento do órgão para “preparar o terreno” para a construção da Unidade de Hidrelétrica de Belo Monte. Este processo vem sendo manipulado há mais de dois anos, quando Altamira foi alvo da intensa fiscalização de vários órgãos governamentais, fazendo a economia no município sofrer uma total interrupção na busca de atrair a adesão por “cabresto” para a instalação da AHE de Belo Monte.  Troca de administradores e funcionários da IBAMA – Instituto Brasileiro de Meio Ambiente, exoneração de funcionários com mais de 30 anos na defesa e preservação da cultura indígena da FUNAI, substituição dos Procuradores Públicos, outras medidas estão sendo articulada por parte do governo para enfraquecer o movimento indígena. Os índios estão sem provisão de alimentos, e não sabemos por quanto tempo irão suportar a pressão. Na cidade eles não tem como se manter sem a floresta. Os povos indígenas, XIPAIA, CURUAIA, XIKRIN DO BACAJÁ, PARAKANÃ, ARARA, ARAWETE, ASURINI DO XINGU, JURUNA  e KAYAPÓ KARARAÔ, estão travando um confronto desleal… o AVATAR, meus amigos é aqui.

Jaime Lisboa – Diretor do Museu do Indio do Pará


Assista ao vídeo:

Olha nós no…

e no…

Paraibanês

Paraibano não fica solteiro... ele fica solto na bagaceira!
Paraibano não vai com sede ao pote... ele vai com a bixiga taboca!
Paraibano não vai embora... ele vai pegá o beco!
Paraibano não diz 'concordo com vc' ... ele diz 'Né isso, homi!!!!'
Paraibano não conserta... ele Imenda!
Paraibano não bate... ele 'senta-le'a mãozada!
Paraibano não sai pra confusão... ele sai pro 'muído'!
Paraibano não bebe um drink... ele toma uma!
Paraibano não é sortudo... ele é cagado!
Paraibano não corre... ele dá uma carrera!
Paraibano não brinca... ele manga!
não toma água com açúcar... ele toma garapa!
não engana... ele dá um migué!
não percebe... ele dá fé
não vigia as coisas... ele pastora!
não sai apressado... ele sai desembestado!
não aperta... ele arroxa!
não usa zíper... usa 'riri'!
não dá volta... ele arrudêia!
não espera um minuto... ele espera um pedaço!
não é distraído... ele é avoado!
não fica encabulado... ele fica todo errado!
não passa a roupa... ele engoma a roupa!
não ouve barulho... ele ouve zuada!
não rega as plantas... ele 'agoa' as plantas
não é esperto... ele é desenrolado!
não é rico... ele é estribado!
não é homem... ele é macho !
não diz tu ouviste? , ele diz vice?
não diz vamos embora ele diz bora!
não grita de espanto ele diz oxe!
não se impressiona, só diz vôte!
não diz não, diz nã!

Ô orgulho réi besta!!!

Clique no símbolo e veja mais fotos do Movimento