Um maeiro caatingueiro na Rede Globo

Neste sábado, dia 5 de junho, o ex-maeiro Giovane Xenofonte participou do programa Ação, da Rede Globo. Ele foi representando a ONG Caatinga, onde trabalha.
O Ação é um programa que mostra a iniciativa de pessoas, empresas e intituições que emprestam sua experiência profissional e doam seu tempo para ajudar na construção de um Brasil melhor.
A edição do programa abordou sobre as peculiaridades da caatinga, bioma único no mundo, que só existe no Brasil. A Caatinga corresponde a quase 10% do território nacional e é detentora de ecossistemas muito ricos e pouco conhecidos, além de ser um dos biomas menos conservados do Brasil, pois a ação do homem já transformou 80% da vegetação original.
Projetos implantados no semiárido mostram que é possível integrar o homem e a natureza. Um exemplo é a agrofloresta do seu Adão. A propriedade é uma das doze da região do Araripe que adotam as técnicas ensinadas pela ONG caatinga. E para resistir ao período seco, a lição número um é estocar.

É nessa caatinga, única e nossa, que muitos maeir@s já trabalharam e trabalham até hoje!

Assista aos vídeo (na sequência) e conheça mais da vida da Caatinga!

Visite: Programa Ação

AVATAR NO XINGU

UM CONFRONTO DESLEAL

Quem assistiu ao filme, não esquece os nativos de três metros de altura, utilizando apenas arco e flecha, lutando contra equipamentos de alta performance tecnológicas de uma mineradora, para defender seu paraíso territorial. A ficção vira realidade na cidade de Altamira, Município do Interior do Pará, estado que faz parte da Amazônia legal Brasileira. Vários grupos indígenas saíram de suas reservas para lutar em favor de seus direitos, desde quatro de fevereiro deste ano, há exatamente sete dias eles estão sediados no “extinto” escritório da FUNAI – Fundação Nacional do Índio, entidade criada para ”defender” os interesse  da classe indígenas. Cerca de 230 indígenas representando nove etnias e 18 aldeias, buscam entendimento com o governo, para saber o porquê da extinção da administração local da FUNAI, que pretende transferir a ADM para a cidade de Santarém. A área de abrangência da regional de Altamira é de aproximadamente seis milhões de hectares, onde vivem mais de quatro mil indígenas, existem comunidades que se leva cerca de cinco dias de viagem para se chegar até a aldeia; se com uma ADM Regional em Altamira é difícil manter o atendimento e controle da exploração de terras indígenas, imaginem esta extensão territorial deixada á própria sorte. O que está por traz desta manobra, é o enfraquecimento do órgão para “preparar o terreno” para a construção da Unidade de Hidrelétrica de Belo Monte. Este processo vem sendo manipulado há mais de dois anos, quando Altamira foi alvo da intensa fiscalização de vários órgãos governamentais, fazendo a economia no município sofrer uma total interrupção na busca de atrair a adesão por “cabresto” para a instalação da AHE de Belo Monte.  Troca de administradores e funcionários da IBAMA – Instituto Brasileiro de Meio Ambiente, exoneração de funcionários com mais de 30 anos na defesa e preservação da cultura indígena da FUNAI, substituição dos Procuradores Públicos, outras medidas estão sendo articulada por parte do governo para enfraquecer o movimento indígena. Os índios estão sem provisão de alimentos, e não sabemos por quanto tempo irão suportar a pressão. Na cidade eles não tem como se manter sem a floresta. Os povos indígenas, XIPAIA, CURUAIA, XIKRIN DO BACAJÁ, PARAKANÃ, ARARA, ARAWETE, ASURINI DO XINGU, JURUNA  e KAYAPÓ KARARAÔ, estão travando um confronto desleal… o AVATAR, meus amigos é aqui.

Jaime Lisboa – Diretor do Museu do Indio do Pará


Assista ao vídeo:

Tabalho, Luta, Organização e Esperança!

Estar consciente de cada obstáculo ajuda-nos a não substimar as dificuldades e a enfrentá-las de todos os ângulos possíveis. É muito importante visualizar o objetivo final com clareza, e isso também nos traz uma motivação gigantesca, uma força extraordinária para continuar no caminho que acreditamos. A mente colabora conosco dando-nos a confiança necessária para não nos abstrairmos do resultado final, sem nunca deixarmos de ver os obstáculos do caminho e não desistir.
Este é definitivamente um ano de imensas mudanças, revelações, descobertas, abertura, consciência, integração de conhecimentos, descoberta de novos potenciais e um ano de muita preparação.
A todos, uma vida feita de objetivos, metas e sonhos POSSÍVEIS!
Reflita um pouco com esse vídeo…

Olha nós no…

e no…

Paraibanês

Paraibano não fica solteiro... ele fica solto na bagaceira!
Paraibano não vai com sede ao pote... ele vai com a bixiga taboca!
Paraibano não vai embora... ele vai pegá o beco!
Paraibano não diz 'concordo com vc' ... ele diz 'Né isso, homi!!!!'
Paraibano não conserta... ele Imenda!
Paraibano não bate... ele 'senta-le'a mãozada!
Paraibano não sai pra confusão... ele sai pro 'muído'!
Paraibano não bebe um drink... ele toma uma!
Paraibano não é sortudo... ele é cagado!
Paraibano não corre... ele dá uma carrera!
Paraibano não brinca... ele manga!
não toma água com açúcar... ele toma garapa!
não engana... ele dá um migué!
não percebe... ele dá fé
não vigia as coisas... ele pastora!
não sai apressado... ele sai desembestado!
não aperta... ele arroxa!
não usa zíper... usa 'riri'!
não dá volta... ele arrudêia!
não espera um minuto... ele espera um pedaço!
não é distraído... ele é avoado!
não fica encabulado... ele fica todo errado!
não passa a roupa... ele engoma a roupa!
não ouve barulho... ele ouve zuada!
não rega as plantas... ele 'agoa' as plantas
não é esperto... ele é desenrolado!
não é rico... ele é estribado!
não é homem... ele é macho !
não diz tu ouviste? , ele diz vice?
não diz vamos embora ele diz bora!
não grita de espanto ele diz oxe!
não se impressiona, só diz vôte!
não diz não, diz nã!

Ô orgulho réi besta!!!

Clique no símbolo e veja mais fotos do Movimento